Arquivo da tag: China

Sexta Selvagem: Cerejeira-dos-Cinco-Sabores

por Piter Kehoma Boll

Vindo das florestas do Norte da China, da Coreia e do Leste da Rússia, nosso novo camarada é um cipó chamado Schisandra chinensis que pode popularmente ser referido como cerejeira-dos-cinco-sabores.

394px-schisandra_chinensis_2

Os belos frutos vermelhos da cerejeira-dos-cinco-sabores. Foto de Vladimir Kosolapov.*

Usada na medicina tradicional chinesa, a planta é considerada uma das 50 ervas fundamentais. A parte da planta mais comumente usada são as frutas, que são conhecidas como cerejas-dos-cinco-sabores ou frutas-dos-cinco-sabores. O nome é uma tradução do nome chinês, 五味子 (wǔwèizi), porque a fruta é dita conter todos os cinco sabores chineses básicos: salgado, doce, azedo, apimentado e amargo. Uma infusão preparada com as frutas secas é chamada de chá omija ou omija-cha, a partir do nome coreano dos frutos.

800px-omija-cha

Uma xícara de chá omija. Foto de Raheel Shahid.**

Os usos tradicionais da cerejeira-dos-cinco-sabores incluem o tratamento de desordens relacionadas principalmente aos órgãos sexuais. Vários estudos recentes por experimentos em laboratório indicaram que a planta possui um grande número de propriedades benéficas, incluindo propriedades antioxidantes e a habilidade de aumentar a resistência, habilidade de trabalho, acurácia de movimentos e habilidade mental. Ela também parece ser útil no tratamento de várias doenças e desordens, especialmente inflamatórias, como sinusite, otite, neurite, dermatite e gastrite, bem como em algumas doenças infecciosas como gripe e pneumonia, entre várias outras condições.

Eu certamente estou interessado em provar um copo de chá omija. E você? Já teve a chance?

– – –

Curta nossa página no Facebook!

– – –

Referências:

Panossian, A.; Wikman, G. (2008) Pharmacology of Schisandra chinensis Bail.: An overview of Russian research and uses in medicine. Journal of Ethnopharmacology 118(2): 183-212. https://doi.org/10.1016/j.jep.2008.04.020

Wikipedia. Schisandra chinensis. Available at < https://en.wikipedia.org/wiki/Schisandra_chinensis >. Access on October 31, 2017.

– – –

*Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição 3.0 Não Adaptada.

**Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição 2.0 Genérica.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Botânica, Sexta Selvagem

Sexta Selvagem: Panda-vermelho

por Piter Kehoma Boll

Um dos animais mais fofos do mundo, ou talvez o mais fofo de fato, o panda-vermelho (Ailurus fulgens) é a espécie da Sexta Selvagem de hoje.

"Olá! Sou a coisa mais fofa que você já conheceu!" Foto do usuário da Wikimedia, Kuribo.**

“Olá! Sou a coisa mais fofa que você já conheceu!” Foto do usuário da Wikimedia, Kuribo.**

O panda-vermelho é endêmico de florestas temperadas do Himalaia em Nepal, China, Índia, Butão e Myanmar. Ele possui, portanto, uma distribuição consideravelmente pequena e prefere áreas com alta cobertura de bambu.

Apesar de sua fofura, a população selvagem do panda-vermelho está declinando, com menos de 10 mil indivíduos restantes, apesar de uma medição mais acurada ser difícil de conseguir porque povos locais tendem a confundir outros carnívoros pequenos com o panda-vermelho, o que pode levar a uma superestimativa do tamanho populacional. Ele é listado como uma espécie Em Perigo na Lista Vermelha da IUCN e as principais ameaças a sua sobrevivência são a perda e fragmentação de habitat, depressão endogâmica e caça ilegal.

Como do panda-gigante, o principal alimento do panda-vermelho é bambu, mas ele também se alimenta de frutas, ovos e pequenos animais, tal como insetos e pequenos mamíferos.

Pandas vermelhos amam bambu. Foto do usuário da Wikipedia, Colegota.*

Pandas vermelhos amam bambu. Foto do usuário da Wikipedia, Colegota.*

A classificação taxonômica do panda vermelho foi uma dor de cabeça por muito tempo. Ele foi colocado entre os ursos (Ursidae) e os guaxinins (Procyonidae), mas estudos moleculares indicam que ele pertence a sua própria família, Ailuridae, que é proximamente relacionada com Procyonidae, Mustelidae (doninhas) e Mephitidae (cangambás).

Sendo tão fofo e apenas ligeiramente maior que um gato doméstico médio, bem como facilmente adaptável a viver em cativeiro, é estranho que o panda-vermelho ainda não tenha se tornado um animal de estimação popular.

– – –

Referências:

Pradhan, S.; Saha, G. K.; Khan, J. A. 2001. Ecology of the red panda Ailurus fulgens in the Singhalila National Park, Darjeeling, India. Biological Conservation, 98(1): 11-18.

Wikipedia. Red Panda. Available at: <https://en.wikipedia.org/wiki/Red_panda&gt;. Access on January 28, 2016.

– – –

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição e Compartilhamento Igual 2.5 Licença Genérica.

** Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição e Compartilhamento Igual 3.0 Não Adaptada.

2 Comentários

Arquivado em Conservação, Sexta Selvagem