Arquivo da categoria: Biografias

Quarta de Quem: Antonio José Cavanilles

por Piter Kehoma Boll

Read it in English

Hoje celebramos o aniversário de um dos naturalistas espanhóis mais importantes do século XVIII.

Antonio José Cavanilles y Palop nasceu em 16 de janeiro de 1745 em Valencia, Espanha. Ele estudou na Universidade de Valencia e obteve o título de mestre em Filosofia em 1765 e um doutorado em Teologia em 1766. Em 1772 ele foi ordenado padre.

Retrato de Antonio José Cavanilles por Mariano Salvador Maella.

Dedicando-se ao ensino, Cavanilles se mudou para Paris em 1777 para se tornar instrutor dos filhos do Duque de Infantado. Lá, ele foi introduzido à Botânica por André Thouin e Antoine Laurent de Jussieu e se tornou um dos primeiros cientistas espanhóis a adotar o sistema taxonômico criado por Linnaeus.

Cavanilles voltou à Espanha em 1789 devido a conflitos causados pela Revolução Francesa. A partir de 1790, ele começou um esquema com um livreiro parisiense, Jean-Baptiste Fournier, para introduzir na Espanha muitos livros proibidos, incluindo a Encyclopédie, que pretendia secularizar o aprendizado, separando-o de ideias religiosas.

De volta à Espanha, Cavanilles também aumentou sua dedicação à botânica. Ele descreveu muitas espécies de plantas das Américas trazidas para a Europa por expedições espanholas. Entre os vários novos gêneros descritos por ele, podemos mencionar os bem conhecidos Dahlia e Stevia.

Em 1801, Cavanilles se tornou diretor do Jardim Botânico Real de Madrid e permaneceu no posto até sua morte em 1804.

– – –

Curta nossa página no Facebook!

Siga-me (@piterkeo) no Twitter!

– – –

Referências:

Caballer, N. (2011) El ‘correo’ de la Ilustración. El país. Disponível em < https://elpais.com/diario/2011/12/27/cvalenciana/1325017091_850215.html >. Acesso em 14 de janeiro de 2019.

Wikipedia (em Espanhol). Antonio José de Cavanilles. Disponível em < https://es.wikipedia.org/wiki/Antonio_Jos%C3%A9_de_Cavanilles >. Acesso em 14 de janeiro de 2019.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias

Quarta de Quem: Adolf Schlagintweit

por Piter Kehoma Boll

Read it in English

Hoje vou apresentar a vocês um explorador alemão que teve uma morte trágica e precoce.

Adolf von Schlagintweit nasceu em 9 de janeiro de 1829 em Munique, o segundo filho de Rosalie Seidl e Joseph Schlagintweit, um oftalmologista. Ele tinha quatro irmãos, Hermann, Eduard, Robert e Emil. Joseph ensinou ciência a seus filhos em casa e despertou neles o desejo de se tornarem exploradores, o que todos os cinco fizeram, ficando conhecidos como Os Irmãos Schlagintweit.

Retrato de Adolf von Schlagintweit por Julius Schlegel.

Com seu irmão mais velho, Hermann, Adolf estudou a geografia dos Alpes de 1846 a 1848, publicando um estudo sobre isso em 1850 intitulado
Untersuchungen über die physikalische Geographie der Alpen. Mais tarde, os dois irmãos receberam a companhia de seu irmão mais novo Robert e juntos os três publicaram novos estudos sobre os Alpes em 1854 em um trabalho chamado Neuer Untersuchungen über die physikalische Geographie und Geologie der Alpen. Neste tempo, o famoso botânico e explorador Alexander von Humboldt estava interessado em estudar a geologia do subcontinente Indiano, mas estava velho demais para fazê-lo ele mesmo, então convenceu a East Indian Company a contratar os três irmãos Schlagintweit para fazê-lo.

Viajando até a Índia, os três irmãos começaram explorando o planalto do Decão na Índia central e de lá se moveram para o norte em direção aos Himalaias. Eles não viajaram juntos e só se reuniam ocasionalmente. A última reunião dos três aconteceu no outono de 1856 e, no começo de 1857, Hermann e Robert retornaram à Europa, mas Adolf decidiu ficar e continuar explorando.

Depois de cruzar as montanhas do Tibet, Adolf acabou perto de Kashgar, uma região que atualmente é parte da China, perto das fronteiras com o Quirguistão e o Paquistão. A região estava nessa época em conflito, com os Khojas do Turquestão Oriental reivindicando o território e o invadindo constantemente. O líder dos Khojas neste período era Wali Khan, que era notório por sua brutalidade e tirania.

Apesar de todos os alertas de membros de seu group, que começaram a desertar, e de pessoas fugindo da região, Adolf estava decidido a chegar a Kashgar, e assim o fez. Nos limites da cidade, ele foi encontrado pelos Khojas e levado diante do Khan. Sem ver serventia para exploradores europeus vagando por seu território, Wali Khan acusou Adolf de ser um espião trabalhando para os chineses e o fez ser decapitado em 26 de agosto de 1857, na tenra idade de 28 anos.

Em 1859, o etnógrafo cazaque Shoqan Walikhanov, disfarçado de mercador, visitou Kashgar e encontrou o caderno de Adolf em uma venda de tabaco, onde estava sendo usado para enrolar folhas de tabaco. Ele comprou o caderno e conseguiu rastrear um crânio que muito provavelmente era o de Adolf. Ele levou o caderno e o crânio consigo para o Império Russo, o que permitiu que as circunstâncias sobre a morte de Adolf finalmente chegassem à Europa e a sua família.

– – –

Curta nossa página no Facebook!

Siga-me (@piterkeo) no Twitter!

– – –

Referências:

ExecutedToday.com. 1857: Adolf Schlagintweit, intrepid explorer. Available at < http://www.executedtoday.com/2009/08/26/1857-adolf-schlagintweit-wali-khan-kashgar/ >. Access on January 8, 2019.

Wikipedia. Adolf Schlagintweit. Available at < https://en.wikipedia.org/wiki/Adolf_Schlagintweit >. Access on January 8, 2019.

Wikipedia (in German). 
Adolf Schlagintweit. Available at <https://de.wikipedia.org/wiki/Adolf_Schlagintweit >. Access on January 8, 2019.

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, Uncategorized

Quarta de Quem: Ludwig von Graff

por Piter Kehoma Boll

Read it in English

Hoje celebramos o aniversário de um zoólogo que é muito especial para mim porque é um dos maiores nomes na história da pesquisa de turbelários.

Ludwig Bartholomäus Graff de Pancsova, conhecido como Ludwig von Graff, nasceu em 2 de janeiro de 1851 na cidade de Pancsova (Pančevo), atualmente parte da Sérvia, mas naquela época parte do Império Austríaco. Ele era filho de Wilhelm Hermann Graff de Pancsova, um farmacêutico, e Elisabeth de Sold.

Ele estudou medicina em Viena, recebendo sua graduação médica em 1871. Depois disso, de 1871 a 1873, estudou zoologia em Graz com o zoólogo alemão Oskar Schmidt. No verão de 1872, Schmidt foi contratado em Estrasburgo e Graff o seguiu, se tornando um assistente no instituto zoológico daquela cidade. Devido a um tratado que escreveu sobre a anatomia de platelmintos rabdocelos enquanto estava lá, Graff recebeu, em 1973, o grau de doutor.

Mais tarde no mesmo ano, ele se mudou para Munique e se tornou um assistente de Karl Theodor Ernst von Siebold. Enquanto estava lá, Graff se tornou um especialista em turbelários e ganhou sua habilitação em 1874 com um trabalho intitulado “Zur Kenntnis der Turbellarien” (“Sobre o conhecimento de turbelários”).

Em 5 de agosto de 1874, Graff casou-se, em Lundenburg, com Eugénie Pauline Karoline Emilie Schorisch.

Um retrato de Ludwig von Graff. Créditos a Alfren von Filz Reiterdank.*

Em 1876, Graff foi designado professor na Academia de Engenharia Florestal em Aschaffenburg, onde ensinou zoologia até 1884. Em 1884, ele também foi eleito membro da Academia de Ciências Leopoldina, a academia nacional da Alemanha, e aceitou um convite para se tornar professor de zoologia da Universidade de Graz, onde permaneceu até 1920. Lá, ele expandiu grandemente o instituto de zoologia e sua biblioteca, incluindo muitos livros que recebeu de seu pai e de Karl Theodor von Siebold.

Para expandir o conhecimento das milhares de espécies desconhecidas de turbelários, ele embarcou em várias viagens, indo ao Ceilão (Sri Lanka) e a Java em 1893–1894, à Noruega em 1902 e à América do Norte em 1907. De 1896 a 1897, ele foi reitor da Universidade de Graz.

Graff faleceu em 6 de fevereiro de 1924, aos 73 anos, após uma longa doença mental. Ele e Eugénie tiveram 4 crianças, duas filhas e dois filhos, incluindo o ginecologista e radiologista Erwin von Graff.

Graff publicou vários trabalhos importantes sobre turbelários, incluindo sua Monographie der Turbellarien (Monografia dos Turbelários), que inclui um volume sobre planárias terrestres que ainda é uma das referências mais importantes para pesquisadores deste grupo.

– – –

Referências:

Books Received (1982) Bibliothek des Professors der Zoologie und vergl Anatomie, Dr Ludwig von Graff, in Graz. Nature 46: 54. 
https://doi.org/10.1038/046054c0

Wikipedia (em Alemão). Ludwig Graff de Pancsova. Disponível em < https://de.wikipedia.org/wiki/Ludwig_Graff_de_Pancsova>. Acesso em 1º de janeiro de 2019.

– – –

*Creative Commons License Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição e Compartilhamento Igual 3.0 Não Adaptada.

Deixe um comentário

Arquivado em Biografias, helmintólogos, turbelários