A história da Sistemática: O sistema de Brisson

por Piter Kehoma Boll

Anteriormente vimos que Linnaeus classificou os animais em 6 classes: Mammalia, Aves, Amphibia, Pisces, Insecta e Vermes e manteve esse sistema em edições futuras do Systema Naturae. Ao mesmo tempo que Linnaeus publicava sua décima edição do Systema Naturae, que é o primeiro trabalho a usar nomenclatura binomial para animais, Brisson, um zoólogo francês, estava criando seu próprio sistema de classificação.

Brisson decidiu classificar os animais em 9 classes: Quadrupeda, Cetacea, Aves, Reptilia, Pisces cartilaginosi, Pisces proprie dicti, Insecta, Crustacea e Vermes. Ele descreve as características dos animais em cada classe em sua obra “Regnum animale in classes IX. Distributum sive synopsis methodica”.

Classe 1. Quadrupeda: corpo peludo, ao menos em algumas áreas, e quatro patas.

Classe 2. Cetacea: corpo nu e alongado, nadadeiras carnosas, cauda horizontal achatada.

Classe 3. Aves: corpo coberto de penas, bico córneo, duas asas, duas patas.

Classe 4. Reptilia: ou corpo nu e quatro patas, ou corpo escamoso com quatro ou sem patas, e respirando por pulmões.

Classe 5. Pisces cartilaginei: nadadeiras cartilaginosas e respirando através de aberturas para brânquias nuas.

Classe 6. Pisces proprie dicti: nadadeiras formadas de pequenos ossos e respirando por brânquias cobertas por uma cobertura móvel e parcialmente ossificada.

Classe 7. Crustacea: cabeça equipada com antenas e oito ou mais patas.

Classe 8. Insecta: antes da última metamorfose, com vários estigmas ou órgãos respiratórios; depois da última metamorfose, cabeça com antenas e seis patas.

Classe 9. Vermes: o corpo, ou ao menos parte dele, retrátil, sem antenas, pés ou estigmas.

No mesmo trabalho, ele descreve em detalhes as duas primeiras classes. A classe Aves é descrita em um trabalho separado, “Ornithologia, sive, synopsis methodica sistens avium divisionem in ordines, sectiones, genera, species, ipsarumque varietates”, mas as classes restantes nunca foram apresentadas, então vou ter que lidar só com essas três.

Classe 1. Quadrupeda

Esta classe é composta por todos os mamíferos conhecidos na época, exceto as baleias, que estavam na classe seguinte, Cetacea. Brisson dividiu os quadrúpedes em 18 ordens, mas não deu nomes a elas, apenas descrevendo-as baseado no número de dentes e no tipo de unha. Linnaeus usou a dentição como a característica principal para a classificação dos mamíferos, mas usou critérios diferentes.

Classe 2. Cetacea

Esta classe era composta pelos cetáceos e era dividida em 4 ordens, cada uma com só um gênero. As ordens eram baseadas na (aparente) distribuição dos dentes.

Na imagem a seguir você pode ver a classificação de Quadrupeda e Cetacea e sua comparação com o sistema de 1767 de Linnaeus.

Comparação dos sistemas de Linnaeus e Brisson para mamíferos. Astericos indicam gêneros que ainda são válidos hoje e foram criados pelos respectivos autores. Um † indica um gênero que não é mais válido.

Algumas curiosidades quando comparamos os mamíferos nos dois sistemas:

1. O gênero Trichechus de Linnaeus incluía peixes-boi e morsas. Brisson classificou as morsas num gênero separado, Odobenus, mas incluiu os peixes-boi no gênero Phoca, junto com as focas e os leões-marinhos!

2. Linnaeus incluiu doninhas e lontras no gênero Mustela e civetas no gênero Viverra. Brisson, por outro lado, pôs civetas no gênero Mustela, junto com as doninhas, e pôs as lontras num gênero separado, Lutra.

3. Enquanto Linnaeus pôs hienas com cães no gênero Canis e texugos com os ursos no gênero Ursus, Brisson tinha gêneros separados para hienas e texugos, chamados Hyaena e Meles.

4. Brisson pôs camundongos e ratos no gênero Mus, arganazes no gênero Glis e roedores sul-americanos de rabo curto, como cobaias e pacas, no gênero Cuniculus. Linnaeus tinha todos em Mus.

5. Brisson separou girafas no seu próprio gênero, Giraffa, enquanto Linnaeus as classificou no gênero Cervus junto com os veados.

Classe 3. Aves

A classificação de Brisson das aves era muito diferente da de Linnaeus. Havia muito mais ordens e gêneros. De fato, alguns gêneros usados por Linnaeus em 1767 foram criados por Brisson. Veja abaixo como é complexa a relação de um sistema para o outro:

Comparação da classificação de aves de Linnaeus e Brisson. Veja a enorme diferença entre os dois sistemas. Asteriscos indicam gêneros que ainda são válidos hoje e foram criados pelos respectivos autores. Um † indica que o gênero não é mais válido.

Infelizmente, Brisson nunca publicou sua classificação dos outros animais, então precisamos seguir para os próximos autores nas postagens seguintes.

– – –

Referências:

Brisson M-J (1762). Regnum animale in classes IX. Distributum, sive, Synopsis methodica. Lugduni Batavorum apud Theodorum, Haak. 316 pp.

Brisson M-J (1763a). Ornithologia, sive, synopsis methodica sistens avium divisionem in ordines, sectiones, genera, species, ipsarumque varietates. Apud Theodorum Haak, Lugduni Batavorum : 534 pp.

Brisson M-J (1763b). Ornithologia, sive, Synopsis methodica sistens avium divisionem in ordines, sectiones, genera, species, ipsarumque varietates. Apud Theodorum Haak, Lugduni Batavorum : 542 pp.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sistemática, Taxonomia, Zoologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s