Sexta Selvagem: Micrastérias-denticulada

por Piter Kehoma Boll

Read it in English

Um novo ano está começando com a Sexta Selvagem, e vamos começar pequenos com uma adorável alguinha chamada Micrasterias denticulata, ou a micrastérias-denticulada, como eu decidi chamar. Encontrada em ambientes de água doce, especialmente turfeiras com água ácida, pelo mundo todo, esta espécie pertence à ordem Desmidiales, que é caracterizada por sua anatomia celular peculiar.

Um indivíduo de Micrasterias denticulata coletado na Espanha. Créditos a Proyecto Agua.*

Como a maioria das desmídias, a micrastérias-denticulada é um organismo unicelular e sua célula é dividida em duas metades chamadas semicélulas que são unidas por um estreito istmo. Cada semicélula contém um grande coloroplasto, e o núcleo fica dentro do istmo. Devido à sua célula simétrica com um formato bem definido, incluindo uma série de lobos, a micrastérias-denticulada e outras espécies do gênero são ideais para o estudo de morfogênese celular.

Recentemente, a micrastérias-denticulada vem sendo usada para estudar os efeitos de várias variáveis ambientais, especialmente poluentes e nutrientes, no formato da célula. Tais estudos são importantes para entender os efeitos de mudanças ambientais causadas por atividades humanas, como a agricultura e a produção de resíduos, em organismos de água doce. Vivendo em ambientes que mudam constantemente de pH, salinidade e temperatura, a micrastérias-denticulada é um organismo resistente e desenvolveu mecanismos para evitar intoxicação, como a cristalização de metais pesados para torná-los inativos dentro da célula.

– – –

Referências:

Affenzeller MJ, Darehshouri A, Andosch A, Lütz C, Lütz-Meindl U (2009) Salt stress-induced cell death in the unicellular alga Micrasterias denticulata. Journal of Experimental Botany 60(3): 939–954.
https://doi.org/10.1093/jxb/ern348

Niedermeier M, Gierlinger N, Lütz-Meindl U (2018) Biomineralization of strontium and barium contributes to detoxification in the freshwater alga Micrasterias. Journal of Plant Physiology 230: 80–91.
https://doi.org/10.1016/j.jplph.2018.08.008

– – –

*Creative Commons License Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição Não Comercial e Compartilhamento Igual 2.0 Genérica.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Algas, Botânica, Sexta Selvagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s