Sexta Selvagem: Braquíono-dobrável

por Piter Kehoma Boll

Charles Darwin já tinha percebido que pequenos animais, tais como os encontrados no zooplâncton, são amplamente distribuídos ao redor do mundo, mesmo aqueles encontrados em pequenas poças d’água. Isso parecia ir contra as teorias de especiação, mas pensou-se que poderia ser resultado de transporte passivo por outros animais, tais como aves migratórias. Uma dessas espécies é o minúsculo rotífero Brachionus plicatilis, ou o braquíono-dobrável, como eu decidi chamá-lo, uma espécie de 0.1 a 0.2 mm de comprimento encontrada pelo mundo todo em lagos salinos.

brachionus_plicatilis

Um espécime do braquíono-dobrável. Foto do usuário do Wikimedia user Sofdrakou.*

O braquíono-dobrável é uma espécie eurialina, significando que pode tolerar uma grande gama de salinidade. Estudos moleculares recentes demonstraram que ele é na verdade um complexo de pelo menos 22 espécies, mas como isso não foi ainda definido taxonomicamente, continuarei a usar os termos Brachionus plicatilis e braquíono-dobrável no sentido amplo.

Na última metade de século, o braquíono-dobrável se tornou uma espécie comercialmente importante, sendo criado como fonte de alimento para larvas de peixe. Ele pode ser alimentado com uma variedade de microrganismos, tal como bactérias, algas e levedos. No ambiente natural, ele é considerado uma espécie filtradora generalista.

Como muitos rotíferos, o braquíono-dobrável geralmente se reproduz por partenogênese, onde as chamadas fêmeas amícticas produzem ovos diploides que originam outras fêmeas amícticas. Sob certas condições, no entanto, eles podem produzir ovos que originam fêmeas mícticas, que somente depositam ovos haploides. Ovos haploides não fertilizados originam machos, enquanto aqueles fertilizados originam novas fêmeas. Um tanto complexo, né?

– – –

Referências:

Gómez, A., Serra, M., Carvalho, G., & Lunt, D. (2002). Speciation in ancient cryptic species complexes: evidence from the molecular phylogeny of Brachionus plicatilis(Rotifera) Evolution, 56 (7) DOI: 10.1554/0014-3820(2002)056[1431:SIACSC]2.0.CO;2

Øie, G., Makridis, P., Reitan, K., & Olsen, Y. (1997). Protein and carbon utilization of rotifers (Brachionus plicatilis) in first feeding of turbot larvae (Scophthalmus maximus L.) Aquaculture, 153 (1-2), 103-122 DOI: 10.1016/S0044-8486(96)01514-1

Suatoni, E., Vicario, S., Rice, S., Snell, T., & Caccone, A. (2006). An analysis of species boundaries and biogeographic patterns in a cryptic species complex: The rotifer—Brachionus plicatilis Molecular Phylogenetics and Evolution, 41 (1), 86-98 DOI: 10.1016/j.ympev.2006.04.025

Walker, K. (1981). 13. A synopsis of ecological information on the saline lake rotifer Brachionus plicatilis Müller 1786 Hydrobiologia, 81-82 (1), 159-167 DOI: 10.1007/BF00048713

– – –

*Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons de Atribuição Não Comercial e Compartilhamento Igual 4.0 Internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sexta Selvagem, Zoologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s