A história da Sistemática: Plantas no Systema Naturae, 1758 (parte 5)

por Piter Kehoma Boll

Depois de levar quatro postagens (você pode lê-las aqui: 1, 2, 3, 4) para apresentar todas as flores hermafroditas regulares no Sistema de Linnaeus, é hora de mover para plantas hermafroditas irregulares. Aqui apresentarei a vocês duas classes caracterizadas por terem estames de dois tipos diferentes.

14. Didynamia (“duas forças”)

“Quatro maridos, dois deles mais longos e dois deles mais curtos”, isto é, dois estames mais longos e dois estames mais curtos em uma flor hermafrodita.

14.1 Didynamia Gymnospermia (“duas forças, sementes nuas”), dois estames mais longos (e dois mais curtos) e sementes expostas, sem um fruto circundante: Ajuga (búgulas), Teucrium (carvalhinhas), Satureja (segurelhas), Thymbra (tomilhos-mediterrâneos), Hyssopus (hissopos), Nepeta (ervas-de-gato), Lavandula (lavandas), Betonica (betônicas), Sideritis (ervas-de-ferro), Mentha (hortelãs), Glechoma (heras-de-chão), Lamium (urtigas-mortas), Orvala (mais urtigas-mortas), Galeopsis (urtigas-cânhamo), Stachys (peixinhos), Ballota (ervas-dos-pavios), Marrubium (marroios), Leonurus (rabos-de-leão), Phlomis (sálvia-de-Jerusalém), Moluccella (sinos-da-Irlanda), Clinopodium (manjericões-bravos), Thymus (tomilhos), Origanum (oréganos), Melissa (melissas), Dracocephalum (cabeças-de-dragão), Horminum (boca-de-dragão), Melittis (melissa-bastarda), Ocimum (manjericões), Trichostema (cachos-azuis), Scutellaria (escutelárias), Prunella (consoldas), Prasium (mãe-de-esmeralda), Phryma (frima).

1758linnaeus_didynamia_gymnospermia

Estas 32 espécies eram classificadas por Linnaeus como Didynamia Gymnospermia (da esquerda para a direita, de cima para baixo): búgula-comum (Ajuga reptans), carvalhinha-do-muro (Teucrium chamaedrys), segurelha-da-montanha (Satureja montana), tomilho-mediterrâneo-espigado (Thymbra spicata), hissopo-comum (Hyssopus officinalis), erva-de-gato-verdadeira (Nepeta cataria), lavanda-francesa (Lavandula stoechas), betônica-comum (Betonica officinalis, agora Stachys officinalis), erva-de-ferro-da-Síria (Sideritis syriaca), hortelã-verde (Mentha spicata), hera-de-chão-comum (Glechoma hederacea), urtiga-morta-branca (Lamium album), urtiga-cânhamo-comum (Galeopsis tetrahit), peixinho-da-cerca (Stachys sylvatica), erva-dos-pavios-negra (Ballota nigra), marroio-comum (Marrubium vulgare), rabo-de-leão-cardíaco (Leonurus cardíaca), sálvia-de-Jerusalém-comum (Phlomis fruticosa), sino-da-Irlanda-comum (Moluccella laevis), manjericão-bravo-comum (Clinopodium vulgare), tomilho-comum (Thymus vulgaris), orégano-comum (Origanum vulgare), melissa-comum (Melissa officinalis), cabeça-de-dragão-da-Moldávia (Dracocephalum moldavica), boca-de-dragão (Horminum pyrenaicum), melissa-bastarda (Melittis melissophyllum), manjericão-de-folha-larga (Ocimum basilicum), cacho-azul-bifurcado (Trichostema dichotomum), escutelária-azul (Scutellaria lateriflora), consolda-comum (Prunella vulgaris), mãe-de-esmeralda (Prasium majus), frima (Phryma leptostachya). Créditos a H. Zell (búgula, hissopo, betônica, hortelã, urtiga-morta), Bernd Haynold (carvalhinha, boca-de-dragão), Agnieszka Kwiecień (segurelha), Gideon Pisanty (tomilho mediterrâneo, melissa), Hans Hillewaert (lavanda), C T Johansson (erva-de-ferro), Kristian Peters (hera-de-chão), Ivar Leidus (peixinho, consolda), Olivier Pichard (erva-dos-pavios), Eugene Zelenko (marroio), Karel Jakubec (rabo-de-leão), Peter A. Manself (sálvia-de-Jerusalém), Muriel Bendel (manjericão-bravo), Henry Brisse (tomilho), Frank Vicentz (orégano), Karen Hine (cabeça-de-dragão), Jakopo Werther (cacho-azul), Rolf Engstrand (escutelária), Zeynel Cebeci (mãe-de-esmeralda), e usuários do Wikimedia KENPEI (erva-de-gato), BerndH (urtiga-cânhamo, melissa-bastarda), HelloMojo (sino-da-Irlanda), Wildfeuer (manjericão) e Dalgial (frima).

14.2 Didynamia Angiospermia (“duas forças, sementes ensacadas”), dois estames mais longos (e dois mais curtos) e sementes envolvidas por um fruto: Bartsia (sinos-de-veludo), Rhinanthus (chocalhos), Euphrasia (brilho-dos-olhos), Melampyrum (trigo-de-vaca), Lathraea (latreias), Schwalbea (glumeira), Tozzia (tózias), Pedicularis (pediculárias), Gerardia (gerárdias), Chelone (cabeças-de-tartaruga), Gesneria (gesnérias), Antirrhinum (bocas-de-leão), Cymbaria (cimbárias), Craniolaria (craniolárias), Martynia (garra-de-gato), Torenia (torrênias), Besleria (beslérias), Scrophularia (escrofulárias), Celsia (célsia), Digitalis (dedaleiras), Bignonia (cipós-cruz), Citharexylum (violineiras), Halleria (haléria), Crescentia (coité), Gmelina (gmelinas), Petrea (pétreas), Lantana (lantanas), Cornutia (cornúcias), Loeselia (lesélias), Capraria (cabreiras), Selago (seagens), Hebenstretia (hebenstrécias), Erinus (erino), Buchnera (búcneras), Browallia (broválias), Linnaea (lineia), Sibthropia (sibtórpia), Limosella (limosinhas), Stemodia (estemódias), Aeginetia (fantasma-da-floresta), Obolaria (obolárias), Orobanche (ervas-toiras), Dodartia (dodárcias), Lippia (lípias), Sesamum (sésamo), Mimulus (flores-de-macaco), Ruellia (ruélias), Barleria (violetas-filipinas), Duranta (pingos-de-ouro), Ovieda (ovieda), Ellisia (elísia), Volkameria (volcamérias), Clerodendrum (clerodendros), Vitex (agnocastos), Bontia (oliveira-brava), Columnea (flores-peixinhos), Acanthus (acanto), Pedalium (pedálio), Melianthus (flores-de-mel).

1758linnaeus_didynamia_angiospermia

A ordem Didynamia Angiospermia incluía estas plantas (da esquerda para a direita, de cima para baixo): sino-de-veludo-comum (Bartsia alpina), trigo-de-vaca-do-campo (Melampyrum arvense), latreia-comum (Lathraea squamaria), glumeira-americana (Schwalbea americana), pediculária-comum (Pedicularis sylvatica), cabeça-de-tartaruga-branca (Chelone glabra), boca-de-leão-comum (Antirrhinum majus), garra-de-gato (Martynia annua), escrofulária-comum (Scrophularia nodosa), dedaleira-comum (Digitalis purpurea), cipó-cruz-comum (Bignonia capreolata), haléria (Halleria lucida), coité (Crescentia cujete), cambará (Lantana camara), cabreira-comum (Capraria biflora), erino-dos-Alpes (Erinus alpinus), lineia (Linnaea borealis), limosinha-d’água (Limosella aquática), estemódia-marinha (Stemodia marítima), fantasma-da-floresta (Aeginetia indica), erva-toira-ramosa (Orobanche ramosa), gergelim (Sesamum indicum), flor-de-macaco-quadrada (Mimulus ringens), ruélia-tuberosa (Ruellia tuberosa), violeta-filipina-cristada (Barleria cristata), pingo-de-ouro-comum (Duranta erecta), volcaméria-comum (Volkameria inermis), clerodendro-do-morro (Clerodendrum infortunatum), agnocasto-comum (Vitex agnus-castus), oliveira-brava (Bontia daphnoides), pata-de-urso (Acanthus mollis), pedálio (Pedalium murex), flor-de-mel-gigante (Melianthus major). Créditos a Jörg Hempel (sino-de-veludo, latreia), Hans Hillewaert (trigo-de-vaca), H. Zell (cabeça-de-tartaruga, agnocasto), Michael Apel (boca-de-leão), Jean François Gaffard (escrofulária), Melissa McMasters (cipó-cruz), Stan Shebs (haléria, flor-de-mel), Franz Xaver (cambará, gergelim, pata-de-urso), Scott Zona (cabreira), François Van Der Biest (erino), Paul Chapman (lineia), Christian Fischer (limosinha), Alex Popovkin (estemódia), C T Johansson (fantasma-da-floresta), Javier Martin (erva-toira), Jason Hollinger (flor-de-macaco), Varun Pabrai (ruélia), Forest & Kim Starr (volcaméria), D. Eickhoff (oliveira-brava), Marco Schmidt (pedálio), e usuários do Wikimedia Orchi (pediculária), Vinayaraj (garra-de-gato, clerodendro), Yann (dedaleira), Jamesbamba (coité), Vengolis (violeta-filipina) e Mokkie (pingo-de-ouro).

15. Tetradynamia (“quatro forças”)

“Seis maridos, dois deles mais longos em uma flor hermafrodita”, isto é, quatro estames  mais longos e dois mais curtos em uma flor hermafrodita.

15.1 Tetradynamia Siliculosae (“quatro forças, siluculosas”), quatro estames mais longos (e dois mais curtos) e sementes numa vagem curta (silícula): Myagrum (miagros), Vella (velas), Anastatica (rosa-de-Jericó), Subularia (subulária), Draba (drabas), Lepidium (agriões), Thlaspi (agriões-moeda), Cochlearia (cocleárias), Iberis (canastas), Alyssum (alissos), Clypeola (mais alissos), Biscutella (biscutela), Lunaria (honestidades).

1758linnaeus_tetradynamia_siliculosae

Linnaeus pôs na ordem Tetradynamia Siliculosae, entre outras, as seguintes plantas (da esquerda para a direita, de cima para baixo): rosa-de-Jericó (Anastatica hierochuntica), draba-precoce (Draba verna), agrião-de-jardim (Lepidium sativum), agrião-moeda-do-campo (Thlaspi arvense), cocleária-comum (Cochlearia officinalis), canasta-sempre-verde (Iberis sempervirens), alisso-espinhoso (Alyssum spinosum), alisso-doce (Clypeola maritima, agora Lobularia maritima), honestidade-comum (Lunaria annua). Créditos a Michael H. Lemmer (draba), Krish Dulal (agrião-de-jardim), Karel Jakubec (cocleária), Kurt Stüber (alisso-espinhoso), André Karwath (honestidade) e usuários do Wikimedia Phil141 (rosa-de-Jericó), Bff (agrião-moeda), Bouba (canasta) e Hectonichus (alisso-doce).

15.2 Tetradynamia Siliquosae (“quatro forças, siliquosas”), quatro estames mais longos (e dois mais curtos) e sementes numa vagem longa (silíqua):  Dentaria (agriões-amargos), Cardamine (mais agriões-amargos), Sisymbrium (rinchões), Erysimum (erísimo), Cheiranthus (mais erísimos), Hesperis (julianas), Arabis (agriões-das-rochas), Turritis (agriões-da-torre), Brassica (couves, mostardas e similares), Sinapis (algumas mostardas), Raphanus (rabanetes), Bunias (couves-de-verrugas), Isatis (pastéis), Crambe (couves-do-mar), Cleome (flores-aranhas).

1758linnaeus_tetradynamia_siliquosae

A ordem Tetradynamia Siliquosa incluía (da esquerda para a direita, de cima para baixo): agrião-amargo-de-folha-estreita (Cardamine impatiens), rinchão-comum (Sisymbrium officinale), juliana-comum (Hesperis matronalis), agrião-das-rochas-alpino (Arabis alpina), agrião-da-torre-comum (Turritis glabra), couve (Brassica oleracea), mostarda-do-campo (Sinapis arvensis), rabanete-cultivado (Raphanus sativus), pastel-comum (Isatis tinctoria), couve-do-mar-comum (Crambe maritima), flor-aranha-africana (Cleome gynandra). Créditos a Meneerke Bloem (agrião-amargo), James K. Lindsey (rinchão), Jason Pratt (juliana), Jerzy Opiała (agrião-das-rochas), Olivier Pichard (mostarda-do-campo), Curtis Clark (rabanete), Kurt Stüber (pastel), Anne Burgess (couve-do-mar), Ton Rulkens (flor-aranha) e usuários do Wikimedia Rigel7 (agrião-da-torre) e Griensteidl (couve).

Como você pode ver, estas classes incluem muitas plantas culinárias. E finalmente estamos chegando perto do final das plantas com flores, mas ainda há uma bela porção para mostrar.

– – –

Referências:

Linnaeus, C. 1758. Systema Naturae per Regna Tria Naturae…

– – –

Creative Commons License
Todas as imagens estão licenciadas sob uma Licença Creative Commons de Atribuição e Compartilhamento Igual 4.0 Internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Botânica, Sistemática, Taxonomia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s