A história da Sistemática: Animais no Systema Naturae, 1758 (parte 3)

por Piter Kehoma Boll

Esta é a terceira parte desta série de postagens. Veja aqui parte 1parte 2 e parte 4.

Nesta postagem apresentarei uma só classe: Insecta. Naquele tempo, porém, Insecta incluía não somente o que chamamos de insetos hoje, mas todos os artrópodes.

5. Insecta (Insetos)

Coração com um ventrículo e uma aurícula; pus frio.
Espiráculos: poros nas laterais do corpo.
Mandíbulas laterais.
Pênis entrando.
Sentidos: língua, olhos, antenas na cabeça sem cérebro (sem orelhas e narinas).
Cobertura: pele óssea armada para sustento.
Suporte: pés, em alguns asas.

Insetos foram classificados de acordo com o número e o aspecto das asas e incluía 7 ordens: Coleoptera, Hemiptera, Lepidoptera, Neuroptera, Hymenoptera, Diptera e Aptera.

5.1 Coleoptera (asas de estojo), com quatro asas, as anteriores completamente enrijecidas: Scarabaeus (escaravelhos), Dermestes (besouros-de-couro), Hister (besouros-palhaço), Attelabus (enrola-folhas), Curculio (gorgulhos), Silpha (besouros-carniceiros), Coccinella (joaninhas), Cassida (besouros-tartaruga), Chrysomela (besouros-das-folhas), Meloe (burrinhos), Tenebrio (besouros-da-farinha), Mordella (vira-flores), Staphylinus (besouros-de-casaco), Cerambyx (besouros-longicórnios), Leptura (besouros-longicórnios-das-flores), Cantharis (besouros-soldados, pirilampos), Elater (besouros-estaladores), Cicindela (besouros-tigre), Buprestis (besouros-joia), Dytiscus (carochas-d’água), Carabus (besouros-da-terra), Necydalis (besouros-vespa), Forficula (lacrainhas), Blatta (baratas), Gryllus (grilos, gafanhotos, louva-a-deuses, bichos-pau).

Espécies agrupadas por Linnaeus em Coleoptera (da esquerda para a direita, de cima para baixo): escaravelho-sagrado (

Espécies agrupadas por Linnaeus em Coleoptera (da esquerda para a direita, de cima para baixo): escaravelho-sagrado (Scarabaeus sacer), besouro-da-despensa (Dermestes lardarius), besouro-palhaço-de-quatro-manchas (Hister quadrimaculatus), enrola-folha-de-avelã (Attelabus coryli, atualmente Apoderus coryli), gorgulho-da-noz (Curculio nucum), besouro-carniceiro-escuro (Silpha obscura), joaninha-de-sete-pontos (Coccinella septempunctata), besouro-tartaruga-verde (Cassida viridis), besouro-do-choupo-vermelho (Chrysomela populi), burrinho-preto (Meloe proscarabaeus), besouro-da-farinha (Tenebrio molitor), vira-flor-pontudo (Mordella aculeata), besouro-de-casaco-de-asa-vermelha (Staphylinus eruthropterus), besouro-capricórnio-grande (Cerambyx cerdo), besouro-longicórnio-das-flores-listrado (Leptura quadrifasciata), besouro-soldado-fosco (Cantharis fusca), besouro-estalador-vermelho (Elater ferrugineus), besouro-tigre-verde (Cicindela campestris), besouro-joia-de-oito-pontos (Buprestis octoguttata), carocha-d’água-larga (Dytiscus latissimus), besouro-da-terra-duro (Carabus coriaceus), besouro-vespa-grande (Necydalis major), lacrainha-europeia (Forficula auricularia), barata-comum (Blatta orientalis) e grilo-comum (Gryllus campestris). Créditos ao usuário do Wikipedia Sarefo (escaravelho), Guttormm Flatab (besouro-da-despensa), Didier Descouens (besouro-palhaço, vira-flor), entomar [www.entomart.be] (enrola-folha, gorgulho, besouro-tartaruga), Dominik Stodulski (joaninha), usuário do Wikipedia Quarl (besouro-do-choupo, besouro-longicórnio-das-flores), Václav Hanzlík (besouro-de-casaco), Franz Xaver (besouro capricórnio), James K. Lindsey (besouro-soldado), Stanislav Krejčik (besouro-estalador), Olaf Leillinger (besouro-tigre), Biopix [www.biopix.com] (carocha-d’água), Gyorgy Csoka (besouro-vespa), Miroslav Deml (lacrainha), K Schneider (barata), Gilles San Martin (grilo).

5.2 Hemiptera (meias-asas): com quatro asas, as anteriores parcialmente enrijecidas: Cicada (cigarras), Notonecta (notonectas), Nepa (escorpiões-d’água), Cimex (percevejos), Aphis (pulgões), Chermes (pulgões-peludos), Coccus (cochonilhas), Thrips (tripes).

A ordem Hemiptera de Linnaeus incluía as seguintes espécies (da esquerda para a direita, de cima para baixo: cigarra-do-freixo (

A ordem Hemiptera de Linnaeus incluía as seguintes espécies (da esquerda para a direita, de cima para baixo: cigarra-do-freixo (Cicada orni), notonecta-comum (Notonecta glauca), escorpião-d’água-comum (Nepa cinerea), percevejo-da-cama-comum (Cimex lectularius), besouro-do-sabugueiro (Aphis sambuci), aldegídeo-da-galha-abacaxi (Chermes abietis, atualmente Adelges abietis), cochinilha-mole-marrom (Coccus hesperidum), tripes-do-dente-de-leão (Thrips physapus). Créditos ao usuário do Wikimedia Hectonichus (cigarra), Holger Gröschl (notonecta), usuário do Wikimedia XenonX3 (escorpião-d’água), James K. Lindsey (pulhão), Magne Flåten (aldegídeo), Whitney Cranshaw (cochonilha), thrips.w.interjowo.pl (tripes).

5.3 Lepidoptera (asas escamosas), com quatro asas escamosas: Papilio (borboletas), Phalaena (mariposas), Sphinx (mariposas-esfinge).

Entre as espécies postas por Linnaeus em Lepidoptera estavam (da esquerda para a direita): rabo-de-andorinha-Páris (

Entre as espécies postas por Linnaeus em Lepidoptera estavam (da esquerda para a direita): rabo-de-andorinha-Páris (Papilio paris), mariposa-gótica (Phalaena typica, agora Naenia typica), e mariposa-esfinge-do-ligustro (Sphinx ligustri). Créditos a usuário do Wikimedia Peellden (rabo-de-andorinha), Danny Chapman (mariposa-gótica) e usuário do Wikimedia Jdiemer (mariposa-esfinge).

5.4 Neuroptera (asas com nervuras), com quatro asas membranosas e um abdome não armado: Libellula (libélulas), Ephemera (efêmeras), Phrygaena (moscas-d’água), Hemerobius (asas-de-laço, formigas-leão, amieiras), Panorpa (moscas-escorpião), Raphidia (agulhinhas).

A ordem Neuroptera de Linnaeus incluída (da esquerda para a direita, de cima para baixo) a libélula-caçadora-de-quatro-manchas (

A ordem Neuroptera de Linnaeus incluída (da esquerda para a direita, de cima para baixo) a libélula-caçadora-de-quatro-manchas (Libellula quadrimaculata), a efêmera-comum (Ephemera vulgata), a mosca-d’água-maior (Phrygaena grandis), a asa-de-laço-marrom-comum (Hemerobius humulinus), a mosca-escorpião-comum (Panorpa communis), e a agulhinha-comum (Raphidia ophiopsis). Créditos ao usuário do Wikimedia Bj.schoenmakers (efêmera), Donald Hobern (mosca-d’água), usuário do Wikimedia AfroBrazilian (asa-de-laço), André Karwath (mosca-escorpião).

5.5 Hymenoptera (asas membranosas), com quatro asas membranosas e uma cauda armada: Cynips (vespas-da-galha), Tenthredo (moscas-serra), Ichneumon (vespas-parasitoides), Sphex (vespas-oleiras, vespas-cavadoras), Vespa (vespas e marimbondos), Apis (abelhas), Formica (formigas), Mutilla (formigas-de-veludo).

1758Linnaeus_hymenoptera

A ordem Hymenoptera de Linnaeus incluía (da esquerda para a direita, de cima para baixo) a vespa-da-galha-comum (Cynips quercusfolii), a mosca-serra-da-escrofulária (Tenthredo scrophulariae), vespa-parasitoide-comum (Ichneumon sarcitorius), vespa-oleira-sul-americana (Sphex argillacea, agora Zeta argillaceum), vespa-europeia (Vespa crabro), abelha-europeia (Apis mellifera), formiga-vermelha (Formicca rufa), e formiga-de-veludo-europeia (Mutilla europaea). Créditos ao usuário do Wikimedia Wofl (vespa-da-galha), James K. Lindsey (vespa-serra, vespa-parasitoide), Sean McCann (vespa-oleira), usuário do Wikimedia Flugwapsch62 (vespa), Böhringer Friedrich (abelha), Adam Opioła (formiga), Valter Jacinto (formiga-de-veludo).

5.6 Diptera (duas asas), com duas asas: Oestrus (moscas-do-berne), Tipula (mosquitões e mosquitinhos), Musca (moscas-domésticas, varejeiras, moscas-das-flores), Tabanus (mutucas), Culex (mosquitos), Empis (moscas-dardo, moscas-dançarinas), Conops (moscas-cabeçudas), Asilus (moscas-raptoras), Bombylius (moscas-abelha), Hippobosca (moscas-piolho).

Em Diptera, Linnaeus incluiu

Em Diptera, Linnaeus incluiu a mosca-do-berne-da-ovelha (Oestrus ovis), o mosquitão-de-jardim (Tipula hortorum), a mosca-doméstica (Musca domestica), a mutuca-do-boi (Tabanus bovinus), o mosquito-comum (Culex pipiens), a mosca-dançarina-do-norte (Empis borealis), a mosca-cabeçuda-amarela (Conops flavipes), a mosca-raptora-vespa (Asilus cabroniformis), a mosca-abelha-grande (Bombylius major) e a mosca-da-floresta (Hippobosca equina). Créditos ao usuário picotverd do diptera.info (mosca-do-berne), James K. Lindsey (mosquitão, mutuca, mosca-dançarina), Kamran Iftikhar (mosca-doméstica), David Barillet-Portal (mosquito), Martin Harvey (mosca-raptora), Richard Bartz (mosca-abelha) e usuário do Wikimedia Janswart (mosca-da-floresta).

5.7 Aptera (sem asas), sem asas: Lepisma (traças-dos-livros), Podura (rabos-de-mola), Termes (cupins e piolhos-da-cortiça), Pediculus (piolhos), Pulex (pulgas), Acarus (ácaros e carrapatos), Phalangium (opiliões, amblipígios e escorpiões-vinagre), Aranea (aranhas), Scorpio (escorpiões), Cancer (caranguejos, lagostas, camarões), Monoculus (camarões-girino, pulgas-d’água, caranguejos-ferradura), Oniscus (tatuzinhos-de-jardim), Scolopendra (centopeias), Julus (piolhos-de-cobra).

A bagunçada ordem Aptera incluía (da esquerda para a direita, de cima para baixo) a traça-dos-livros (

A bagunçada ordem Aptera incluía (da esquerda para a direita, de cima para baixo) a traça-dos-livros (Lepisma saccharina), o rabo-de-mola-aquático (Podura aquatica), o trogiídeo-pálido-maior (Termes pulsatorium, agora Trogium pulsatorium), o piolho-da-cabeça (Pediculus humanus), a pulga-humana (Pulex irritans), o ácaro-da-farinha (Acarus siro), o opilião-comum (Phalangium opilio), a aranha-de-jardim-angular (Aranea angulata, agora Araneus angulatus), o escorpião-de-garras-grandes (Scorpio maurus), a caranguejola (Cancer pagurus), o camarão-girino-comum (Monoculus apus, agora Lepidurus apus), o tatuzinho-de-jardim-comum (Oniscus asellus), a centopeia-gigante-da-Amazônia (Scolopendra gigantea), e o piolho-de-cobra-comum (Julus terrestris). Créditos para Christian Fischer (traça, rabo-de-mola), Josef Reischig (piolho), Michael Wunderli (pulga), Joel Mills (ácaro), Didier Descouens (opilião), Thomas Kraft (aranha), Guy Haimovitch (escorpião), Hans Hillewaert (caranguejola), Christian Fischer (camarão-girino), Fritz Geller-Grimm (tatuzinho-de-jardim), Katka Nemčoková (centopeia), Carmen Juaréz/Pedro do Rego (piolho-de-cobra).

Como pode-se perceber, Linnaeus era bem competente em classificar himenópteros, dípteros e lepidópteros. Suas ordens Coleoptera e Hemiptera também não eram tão ruins. Neuroptera era um pouco bagunçada, mas nada se compara a Aptera, onde ele pôs tudo que não tinha asas, de traças a aranhas, caranguejos e piolhos-de-cobra! É incrível como ele era acurado com certos grupos e um desastre completo com outros.

– – –

Referências:

Linnaeus, C. 1758. Systema Naturae per regna tria naturae…

– – –

Creative Commons License
Todas as imagens estão licenciadas sob uma Licença Creative Commons de Atribuição e Compartilhamento Igual 4.0 Internacional.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Sistemática, Zoologia

4 Respostas para “A história da Sistemática: Animais no Systema Naturae, 1758 (parte 3)

  1. Pingback: A história da Sistemática: Animais no Systema Naturae, 1758 (parte 1) | Natureza Terráquea

  2. Pingback: A história da Sistemática: Animais no Systema Naturae (parte 2) | Natureza Terráquea

  3. Pingback: A história da Sistemática: Animais no Systema Naturae, 1758 (Parte 4) | Natureza Terráquea

  4. Pingback: A história da Sistemática: Plantas no Systema Naturae, 1758 (parte 1) | Natureza Terráquea

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s