Arquivo do mês: agosto 2012

Sexta Selvagem: Fungo-Dente-Sangrento

por Piter Kehoma Boll

Nossa espécie hoje é um belo fungo, Hydnellum peckii, o fungo-dente-sangrento. Ele foi descrito em 1913 por Howard J. Banker e nomeado em homenagem ao botânico C. H. Peck que o coletou em North Elba, Nova Iorque.

Sendo um cogumelo, sua parte visível é composta por seus corpos de frutificação que podem crescer a uma altura de até 10,5 cm. Quando úmidos, estes corpos de frutificação exsudam um suco vermelho, dando ao cogumelo sua bela aparência e seu nome comum. Encontrado ao longo da maior parte da América do Norte, bem como na Eurásia, ele cresce do solo e geralmente está associado com coníferas da família Pinaceae, como os gêneros Pinus, Picea, Tsuga, PseudotsugaAbies.

Espécime jovem de Hydnellum peckii. Foto do usuário da Wikipedia, Bernypisa.

Espécime jovem de Hydnellum peckii. Foto do usuário da Wikipedia, Bernypisa.

Apesar de não ser tóxico, ele possui um sabor tão amargo que se torna não-comestível. De qualquer maneira não seria bom comê-lo, visto que ele acumula o elemento pesado Césio-137 em seu micélio.

H. peckii revelou possuir atromentina, um anticoagulante efetivo similar à heparina que também possui atividade antibacteriana contra a bactéria Streptococcus pneumoniae, inibindo uma enzima essencial para a biossíntese de seus ácidos graxos. Outros usos da atromentina incluem um estimulante para a musculatura lisa e um indutor de apoptose em células U937 de leucemia.

Não somente bonito, ele também é muito útil para propósitos médicos e ecológicos.

– – –

Referências:

Banker, H. J. 1913. Type Studies in the Hydnaceae: V. The Genus Hydnellum. Mycologia, 5 (4), 194-205 DOI:10.2307/3753385

Shiryaev, A. 2008. Diversity and distribution of thelephoroid fungi (Basidiomycota, Thelephorales) in the Sverdlovsk region, Russia. Folia Cryptogamica Estonica, 44, 131-141

Vinichuk, M. M.; Johanson, K. J. & Taylor, A. F. S. 2004. 137Cs in the fungal compartment of Swedish forest soils Science of The Total Environment, 323, 243-251 DOI: 10.1016/j.scitotenv.2003.10.009

Wikipedia. Hydnellum peckii. Available online at <http://en.wikipedia.org/wiki/Hydnellum_peckii>. Access on August 10, 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades, Fungos, Sexta Selvagem

Sexta Selvagem: “Cobra-mole”

por Piter Kehoma Boll

Nossa espécie da Sexta Selvagem de hoje foi escolhida porque tem sido vista nos últimos dias em notícias, sites e blogs brasileiros. Seu nome é Atretochoana eiselti e é uma espécie rara de anfíbio ceciliídeo encontrada no Brasil. Uma de suas maiores peculiaridades é que não possui pulmões e, tendo cerca de 80 cm de comprimento, é o maior tetrápode sem pulmões conhecido.

Atretochoana eiseltii encontrada no Rio Madeira em 21 de julho de 2012. Foto de Juliano Tupan.

Atretochoana eiseltii encontrada no Rio Madeira em 21 de julho de 2012. Foto de Juliano Tupan.

Inicialmente a espécie era conhecida a partir de um único espécime encontrado em 1968 até um segundo ser encontrado em 1998. Como todos os ceciliídeos, ela não possui pernas e possui olhos muito reduzidos. Pouco é conhecido sobre ela ainda, mas parece ser mais aquática que terrestre em seus hábitos, diferente da maioria dos ceciliídeos, o que é suportado pela presença de uma pequena nadadeira dorsal.

Após a descoberta dos dois espécimes originais, somente em 2011 foram encontrados outros, no Rio Madeira, no Brasil. Esses foram os primeiros indivíduos registrados em seu habitat natural, mas, estranhamente, o rio possui águas mais quentes que o esperado para uma espécie que não possui pulmões, já que águas mais quentes possuem menos oxigênio.

Durante 2012, mais espécimes foram encontrados no mesmo rio. Vamos esperar que, agora que conhecemos seu habitat natural, sejamos capazes de decifrar alguns dos mistérios que ainda cercam essa criatura incomum.

– – –

Referências:

Hoogmoed, M. S.; Maciel, A. O. and Coragem, J. T. (2011). Discovery of the largest lungless tetrapod, Atretochoana eiselti (Taylor, 1968) (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae), in its natural habitat in Brazilian Amazonia Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi : Ciências Naturais, 6 (3), 241-262

Wikipedia. Atretochoana. Disponível online em <http://en.wikipedia.org/wiki/Atretochoana>. Acesso em 2 de agosto 2012.

Wilkinson, M.; Sebben, A; Schwartz, E. N. F. and Schwartz, C. A. 1998. The largest lungless tetrapod: report on a second specimen of Atretochoana eiselti (Amphibia: Gymnophiona: Typhlonectidae) from Brazil Journal of Natural History, 32, 617-627 DOI:10.1080/00222939800770321

Ximenes, M. 2012. Anfíbio com formato de cobra é descoberto no Rio Madeira, em RO. G1. Acesso em 2 de agosto de 2012.

Deixe um comentário

Arquivado em Conservação, Curiosidades, Sexta Selvagem