Uma Lenda de 120 Anos

por Rafael Nascimento

Animais de estimação de grande longevidade, que podem acompanhar seus donos por anos, sempre foram uma atração, como se pode observar pela popularidade das tartarugas, assim como psitacídeos, por serem vívidos e interativos. Os animais tendem a viver mais tempo em cativeiro, não sendo expostos aos perigos da “vida selvagem”. Alguns, no entanto, excedem o esperado e tornam-se personagens bem curiosos. Um destes personagens foi uma cacatua que viveu mais de cem anos na Austrália, entre os séculos XVIII e XX.

Chamado Cocky Bennet, uma cacatua-de-crista-amarela (Cacatua galerita) macho, ele se destacou não apenas pela idade que atingiu, mas também pelas suas características físicas incomuns. Nascido em 1796 (de acordo com o tabloide semanal The Queenslander, de Brisbane), próximo a Sydney, foi retirado de seu ninho em um eucalipto por um fazendeiro local. Com o passar os anos, ele começou a perder as penas, ficando com a aparência de uma galinha depenada com pele enrugada. Além disso, sua mandíbula tinha a ponta extraordinariamente longa, de modo que podia apenas comer alimentos amassados. Tais anormalidades são típicas da doença de bico e pena psitacínea, causada por um circovirídeo, que também diminui a imunidade do animal contra os efeitos de outros vírus e bactérias.

Cocky Bennet com 115 anos de idade em sua gaiola, 1911. Foto do arquivo da State Library of Victoria, Austrália.

Cocky Bennet com 115 anos de idade em sua gaiola, 1911. Foto do arquivo da State Library of Victoria, Austrália.

A ave passou seus primeiros 78 anos viajando o mundo com o Capitão Ellis, seu dono. Após a morte do capitão, ele foi herdado pelos Sr. e Sra. Bowden. Com a morte do Sr. Bowden em 1889, sua esposa então se casaria com Charles Bennet. O casal então se mudou para o Tom Ugly’s Point, Blakehurst, em 1891, onde o Sr. Bennet se tornou o titular do Sea Breeze Hotel.

Popular, Cocky viveu no hotel na maior parte dos seus últimos 25 anos. Era bastante falante, com seu repertório incluindo frases como “one feather more and I’ll fly” (“uma pena mais e eu voarei”) e “one at a time, gentlemen, please” (“um por vez, cavalheiros, por favor”), quando molestado por outras aves. Cocky era mais falante e com um linguajar mais ousado quando recebia um “gole de cerveja forte”. Recebia os visitantes se movendo ativamente no topo de sua gaiola na varanda frontal do hotel.

Cocky Bennet com 118 anos de idade, 1914. Foto do arquivo das Sutherland Shire Libraries, Austrália, usada com permissão.

Cocky Bennet com 118 anos de idade, 1914. Foto do arquivo das Sutherland Shire Libraries, Austrália, usada com permissão.

Apesar de ser afetado pela doença, faleceu apenas em maio de 1916, tornando-se o psitacídeo de vida mais longa registrado na Austrália. Já que não existem fontes indicando em que mês Cocky foi tirado de seu ninho, não é possível determinar se ele já tinha 120 ou ainda 119 anos. As cacatuas-de-crista-amarela, em Sydney, procriam de agosto a janeiro e os ovos eclodem após 25 dias. Então, supondo que ele não era um recém nascido (já que possivelmente não sobreviveria se retirado do ninho assim que tivesse saído do ovo), o fazendeiro provavelmente o pegou entre o final de setembro e o final de fevereiro. Na época, sua idade foi estabelecida por ornitólogos contando os anéis de crescimento de seu bico, concluindo que tinha 120 anos de idade, com margem de erro de um ano. A longevidade média da espécie é de 70 anos.

Cocky Bennet, 1914. Foto do arquivo das Sutherland Shire Libraries, Austrália, usada com permissão.

Cocky Bennet, 1914. Foto do arquivo das Sutherland Shire Libraries, Austrália, usada com permissão.

Após sua morte, o Sydney Morning Herald publicou (em 1916) a seguinte nota:

“Uma Cacatua Respeitável

“Cocky Bennet”, uma cacatua-de-crista-amarela australiana, morreu na sexta-feira em seu 120º ano em Canterbury. Esta idade é um recorde de longevidade para um papagaio australiano levando-se em conta os registros oficiais. Por muitos anos a ave estava sob custódia da Sra. Sarah Bennet, a titular do Sea Breeze Hotel, no Tom Ugly’s Point. Quando se mudou de lá, cerca de 12 meses atrás, ela transferiu o papagaio ao seu sobrinho, Sr. Murdoch Alexander Wagschall, no Woopack Hotel, Canterbury. A velha ave estava totalmente sem penas durante seus últimos 20 anos, mas manteve sua “pose” até o dia antes de sua morte. “Cocky Bennet” foi um grande viajante, dito ter feito sete viagens ao redor do mundo. O Sr. Wagschall providenciou que os restos mortais deste papagaio histórico fossem preservados por um taxidermista.”

De acordo com W. A. Easterling (The Sydney Morning Herald de 9 de julho de 1984), um sobrinho distante do Sr. Bennet, a ave foi empalhada e montada pela firma Tost and Rohu e colocada numa redoma de vidro. Permaneceu no hotel até o final da década de 1920 ou começo da de 1930, quando sua avó, a Sra. P. Wagschall (da qual o marido operou o antigo Woolpack Hotel em Canterbury), deixou o ramo da hotelaria. Então passado para sua mãe, os restos de Cocky ficaram pendurados em sua sala de jantar por mais de 40 anos, onde foi uma visão corriqueira aos membros da família, mas os visitantes ficavam nervosos com o aspecto “maligno” da relíquia. Sua esposa chegou a comentar que ela estava indecisa em casar-se com ele caso ele herdasse o velho horror. Após a venda da casa de sua família, sua irmã levou os restos de Cocky para a Kogarah Historical Society em seu museu no Carss Cottage no Carss Bush Park, junto aos documentos que possuíam.

Easterling também comentou que a biblioteca de Sutherland Council fez em maio de 1973 uma exposição sobre a ave, e os pesquisadores trouxeram muito mais informações históricas do que era conhecido pela sua parte da família. O assunto também foi tratado na Column 8 (Herald, 12 de maio de 1973), quando um espécime impostor foi exibido no Sea Breeze Hotel, dito ter sido adquirido de um museu privado em Kurnell e posto a mostra como os supostos restos de Cocky.

– – –

Referências:

Centre for Fortean Zoology Australia. 2011. From the archives: A Venerable Cockatoo (1916). Disponível on-line em: <www.cfzaustralia.com/2011/09/from-archives-venerable-cockatoo-1916.html>. Acessado em 13 de fevereiro de  2012.

Grellis, A. 2008. Blakehurst: Cocky Bennet. Dictionary of Sydney. Disponível on-line em: <www.dictionaryofsydney.org/entry/blakehurst>. Acessado em 14 de fevereiro de  2012.

Kable, F. J. & Easterling, W. A. 1984. Fate of the real Cocky Bennet. The Sydney Morning Herald, Sydney, Australia, July 9, 1984: 8.
Kwek, G. 2011. Sydney’s old crock of a cockie was a legend at 120. The Sidney Morning Herald. Disponível on-line em: <www.smh.com.au/environment/animals/sydneys-old-crock-of-a-cockie-was-a-legend-at-120-20110831-1jkz2.html>. Acessado em 13 de fevereiro de  2012.
Meinhardt, J. 2011. The Birds. Oh Snap! Disponível on-line em: <jocelot.blogspot.com/2011/04/birds.html>. Acessado em 13 de fevereiro de  2012.
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Ornitologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s